Site: https://uff.academia.edu/BenjamimPicado
Rede social: https://www.researchgate.net/profile/Benjamim_Picado
Link para Lattes:  http://lattes.cnpq.br/9591194886381671

CV resumido:
Doutor em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), coordena o Grupo de Pesquisa em Análise da Fotografia e de Narrativas Visuais e Gráficas (GRAFO/NAVI), o Laboratório de Estudos sobre Intrigas Mediáticas (Media_Müthos) e a Rede Integrada de Pesquisa sobre Teorias e Análise da Fotografia (Rede_GRAFO). Autor de O Olho Suspenso do Novecento: plasticidade e discursividade visual no fotojornalismo moderno (Rio: Azougue, 2014), conduz projetos de análise dos materiais expressivos da cultura mediática, a partir de modelos semióticos, estéticos, poéticos e narratológicos da análise da cultura visual e audiovisual, pelo viés heurístico do « estilo da intriga » que atravessa os produtos desse universo (fotojornalismo, quadrinhos e narrativas gráficas e ficção seriada televisiva).

Interesses de orientação: Análise e Teorias da Fotografia; Estudos sobre Narrativas Gráficas; Teorias da Narrativa Visual; Abordagens Estéticas da Comunicação; Poéticas da Serialidade na Cultura Mediática

Projeto de pesquisa

Mutações do Riso: dimensões narrativas e plásticas da incongruência no humor visual (o caso Laerte Coutinho)

Descrição: No triênio a seguir deste projeto de pesquisa (2019/2022), pretendemos continuar o exame do fenômeno das novas inflexões que ocorrem em determinados aspectos da organização plástica e textual da produção do humor, no contexto específico deste dispositivo das tirinhas diárias de jornais: no triênio anterior, mapeamos um espectro mais abrangente de casos eleitos como universo empírico preferencial (com Laerte Coutinho, Angeli e os irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá, na sessão das tirinhas e nos cartoons editoriais da Folha de São Paulo, e o projeto de Chris Ware de uma novela gráfica semanal, « The Last Saturday », publicada no caderno de fim de semana do The Guardian), no interior ds quais notamos algumas das variáveis desta « mutação do riso », no contexto das tirinhas ou de formatos a ela assemelhados. Os aspectos através dos quais esta outra inflexão dos gêneros cômicos encontra sua expressão no humor gráfico são evidentemente variados e cobrem uma extensão dos elementos constituintes da arte dos quadrinhos que merece cuidado de nossa parte: sobretudo, não se deve supor que esta transformação altere por completo o caráter mais « sintético » com o qual a estrutura episódica deste gênero consolidou sua relação com o público leitor, em termos de uma valorização do sentido mais abreviado dos eventos narrados e da valorização das economias actanciais próprias da comicidade, com seu desenho de caráter baseado nas clássicas idéias de « inferioridade » de seus personagens, assim como de um « mundo das ações » calcado em situações ordinárias e mecânicas da vida comum. Para o momento, desejamos avaliar as estratégias plásticas e narratológicas do humor gráfico contemporâneo, no aspecto em que conferem uma nova inflexão na poética do humor visual e de seus princípios de incogruência, a partir de um exame detalhado da evolucão temporal do estilo da artista Laerte Coutinho.

 

Publicacões

« (Des) Aventuras do Índice nas Teorias da Fotografia ». Interin (UTP), v. 25, p. 9-26, 2020. (http://dx.doi.org/10.35168/1980-5276.UTP.interin.2020.Vol25.N2.pp9-26).

« Encenação e Aspecto : inflexões estilísticas na mise en scène da obra seriada televisiva de Aaron Sorkin ». ANIKI: REVISTA PORTUGUESA DA IMAGEM EM MOVIMENTO, v. 6, p. 81-105, 2019. (http://dx.doi.org/10.14591/aniki.v6n1.453)

(com João Senna Teixeira e Raphaël Baroni). « O Fazedor de Relógios: sistemas da temporalidade narrativa em Watchmen ». Revista Todas as Letras (MACKENZIE. Online), v. 21, p. 140-166, 2019.

« Disjonction, itération, sérialisation, curiosité : l’unité épisodique du gag visuel dans l’humour graphique ». Cahiers de Narratologie, p. 1-17, 2018. (http://dx.doi.org/10.4000/narratologie.8970)

(com Maria Carmem Jacob Souza). « Dimensões da autoria e do estilo na ficção seriada televisiva ». MATRIZES (ONLINE), v. 12, p. 53-77, 2018. (http://dx.doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v12i2p53-77)

(com Consuelo Lins). « Dimensões da relação estética na obra fotográfica de Cao Guimarães. Significação-Revista de Cultura Audiovisual » v. 44, p. 278-297, 2017. (http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2017.125787)

« Fotografia: teoria, interrompida? ». GALÁXIA (SÃO PAULO. ONLINE), p. 59-71, 2017. (http://dx.doi.org/10.1590/1982-2554233808)

« Beyond the fixity of drawing: aspectuality and narrative virtualities of depiction in caricature ». Journal of Graphic Novels and Comics, v. 7, p. 334-347, 2016. (http://dx.doi.org/10.1080/21504857.2016.1152988).

« Disjunção, Iteração, Serialização: a gag como unidade episódica no humor gráfico ». ESFERAS, v. 9, p. 91-100, 2016.

Orientações em andamento

Douglas Feitosa Romão. Doutorado: « Por uma Poética da Transparência na Fotografia Documental do Entre-Guerras na Europa ». (2018)

Josenilma Aranha Dantas. Doutorado: « Montar Imagens em Ruína: as poéticas contemporâneas que dão ‘forma ao resto ». (2022).

Luá Octaviano de Oliveira. Mestrado : « Realidades possíveis: construção de mundos nos jogos de realidade alternativa do seriado Mr. Robot » (2020).

Nataly Costa Fernandes Alves. Doutorado: « Quadrinizadas – as mulheres e o “desenho de si” nas histórias em quadrinhos » (2022).

Pedro Barata Gomes. Mestrado: « Padrões formais da encenação e a atmosfera do canal Hallmark – uma análise dos seriados “When Calls the Heart” e “Chesapeake Shores” » (2019)

Pedro Pereira Drumond. Doutorado: « A ruína do sensível e a comunicação sobrevivente: estéticas e retóricas do mau funcionamento das mídias no contemporâneo » (2019).

Priscila Mana Vaz. Doutorado: « Por Uma Poética da Serialização de Contos de Fadas na Cultura Audiovisual Contemporânea » (2018).

Renata Tavares Benia. « Absorto na cena: considerações sobre fotojornalismo e espectatorialidade » (2022).

Victoria de Lima Regis. Mestrado : « Então essa é a fábrica de sonhos: O fazer novelístico infantil e construção da identidade do Sistema Brasileiro de Televisão ». (2020).

Skip to content