CV resumido 

Doutor em Comunicação e Cultura pela ECO/UFRJ, mestre em Comunicação Transnacional e Mídia Global pelo Goldsmiths College, University of London. Realizou pós-doutoramento na London School of Economics and Political Science (LSE). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPQ nível 2, Jovem Cientista do Nosso Estado Faperj e coordenador do Núcleo de Estudos em Comunicação de Massa e Consumo (NEMACS), grupo de pesquisa do CNPQ.
 

Interesses de orientação

Produção de subjetividade em plataformas digitais; processos de reconhecimento midiático; práticas de criação de visibilidade nas mídias; estudos de televisão e reality show.

Projeto de pesquisa
A pesquisa tem como objetivo investigar o papel da mídia, em especial das plataformas de mídias digitais, nos processos de produção de um tipo particular de reconhecimento intersubjetivo, chamado aqui de reconhecimento midiático. Mais especificamente, a pesquisa propõe investigar como os processos de formação identitária e validação social são cada vez mais dependentes de lógicas neoliberais que atravessam as plataformas digitais.

Publicacões
CAMPANELLA, Bruno. Celebrity activism and the making of solidarity capital. In: Nathan Farrell. (Org.). The Political Economy of Celebrity Activism. 1ed.Londres: Routledge, 2020, v. 1, p. 25-40.
 
CAMPANELLA, Bruno. Em busca do reconhecimento midiático: a autorrealização do sujeito na sociedade midiatizada. E-COMPÓS (BRASÍLIA), v. 22, p. 1-19, 2019.
 
CAMPANELLA, Bruno. Nick Couldry: do mito do centro mediado ao esvaziamento do mundo social. As mídias e o processo de datificação da sociedade (entrevista). MATRIZES (ONLINE), v. 13, p. 77-87, 2019.
 
CAMPANELLA, Bruno. Struggle for Media Recognition: The self in a media saturated world. Media@LSE Working Paper Series, v. 56, p. 1-15, 2018.
 
CAMPANELLA, Bruno; NANTES, Joana d’Arc de ; FERNANDES, Paula . Criando intimidade, recebendo visibilidade: novas práticas de persuasão na economia da fama. COMUNICACAO, MIDIA E CONSUMO (ONLINE), v. 15, p. 158, 2018.
 
CAMPANELLA, Bruno; RIBEIRO, M. . ‘Ao vivo’ na televisão e sua (re)valorização na era multiplataforma. In: Lucia Santaella; João Massarolo; Sergio Nesteriuk. (Org.). Desafios da transmídia: processos e poéticas. 1ed.São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2018, v. 1, p. 10-29.
 
CAMPANELLA, Bruno; BARROS, C. F. P. (Org.) . Etnografia & consumo midiático: novas tendências e desafios metodológicos. 1. ed. Rio de Janeiro: e-papers, 2016. v. 1. 206p
 

CAMPANELLA, Bruno; BARROS, C. F. P. . Introdução do livro Etnografia e consumo midiático. In: Campanella, Bruno; Barros, Carla. (Org.). Etnografia e consumo midiático: Novas tendências e desafios metodológicos. 1ed.Rio de Janeiro: e-Papers, 2016, v. 1, p. 5-10.

CAMPANELLA, Bruno. The next Ronald Reagan? Celebrity, social entrepreneurism, and the case of Brazilian TV host Luciano Huck. In: Toby Miller. (Org.). The Routledge Companion to Global Popular Culture. 1ed.Abingdon: Routledge, 2015, v. 1, p. 397-406.

CAMPANELLA, Bruno ; Novas práticas, antigos rituais: A organização do cotidiano e as configurações de poder na mídia. REVISTA GEMInIS, v. 1, p. 8-12, 2014.

CAMPANELLA, Bruno. Celebridade, engajamento humanitário e a formação do capital solidário. Revista FAMECOS (Online), v. 21, p. 721-741, 2014.

CAMPANELLA, Bruno. Os estudos culturais no campo da comunicação no brasil: décadas de 1990 e 2000. In: Marialva Carlos Barbosa; Maria Berenice da Costa Machado; Igor Sacramento. (Org.). Panorama das comunicações e telecomunicações no Brasil: Memória. 1ed.Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2013, v. 4, p. 85-99.

CAMPANELLA, Bruno. Tirando as máscaras: o reality show e a busca pela autenticidade no mundo contemporâneo. E-Compós (Brasília), v. 16, p. 1-17, 2013.

CAMPANELLA, Bruno. Os olhos do grande irmão: Uma etnografia dos fãs do Big Brother Brasil. 1. ed. Porto Alegre: Editora Sulina, 2012. v. 1. 295p

CAMPANELLA, Bruno. O fã na cultura da divergência: Hierarquia e disputa em uma comunidade on-line. Contemporanea (UFBA. Online), v. 10, p. 474-489, 2012.

CAMPANELLA, Bruno. Visões do Cotidiano: Indivíduo e Sociedade no Big Brother Brasil. In: João Freire Filho. (Org.). A TV em transição: Tendências de programação no Brasil e no mundo. 1ed.Porto Alegre: Editora Sulina, 2009, v. , p. 173-196.

CAMPANELLA, Bruno. O Big Brother como evento multiplataforma: uma análise dos impasses dos estudos de audiência. In: João Freire Filho; Micael Herschmann. (Org.). Novos Rumos da Cultura da Mídia. 1ed.Rio de Janeiro: MAUAD Editora Ltda., 2007, v. 1, p. 83-100.


Orientações em andamento

Ayla Pinheiro GomesMestrado. “‘Ser lovatic é criar um laço sincero, afetivo com a demi’: sensibilidade afetiva e relação fã-celebridade através das experiências emocionais dos fãs de Demi Lovato”. (2022)

Erly Guedes Barbosa. Mestrado. “Quem sabe de mim sou eu?: construção do feminino negro em redes sociais on-line”. (2018)

Joana D’Arc de Nantes Silva. Doutorado. “As ficções seriadas na grade de programação de uma emissora popular: etnografia da produção televisiva no SBT”. (2018)

Kárin Klem Lima. Doutorado. “Narrativas sobre intimidade: uma análise sobre as práticas autobiográficas em vídeo para a construção de identidade de gênero no YouTube”. (2020)

Marina da Silva Santos. Mestrado. “Tempero do Edu ou da Rita? As representações sobre alimentação e classe social nas televisões abertas e fechadas no Brasil” (2018)

Paula Fernandes Giuseppe Carvalho. Doutorado. “A biografia do sucesso: O caminho da profissionalização de um estilo de vida” (2020)

Renato Resende Vasconcellos. Doutorado. “Vitrines de sucesso: Um estudo das representações imagéticas da felicidade em redes
sociais”. (2021)

 

Skip to content